Maus Hábitos

Diretor: Simon Bross

Título original: Malos Hábitos

Elenco: Elisa Vicedo

Ano de produção: 2007

País de produção: México

Gênero: Cinema latino-americano

Duração: 93 m

 Se Shakespeare ambientasse seu Hamlet nos dias de hoje o grande dilema não seria o célebre ser ou não ser. O poeta e dramaturgo inglês indagaria se a questão não seria comer ou não comer. É essa dúvida, comer ou não comer, que permeia este delicioso, inteligente e ousado filme mexicano. São quatro estórias que se comunicam e que subsistem numa narrativa que as torna uma estória única. Todos os personagens têm distúrbios alimentares: a freira (formada em medicina) que imaginava parar a chuva com um jejum religioso; a mãe de família que beirava a inanição; sua filha criança, que carregava a pecha de obesa, e que vivia em clínicas e médicos; o pai, professor de arquitetura, que se relacionou com uma aluna peruana, provavelmente porque se apaixonaram por este ato tão humano, que é o comer. Na cama, entre beijos e abraços, compartilhavam também tortas e quitutes. Tem-se um confronto épico entre a estética do corpo esguio e o prazer incomensurável que a gastronomia nos concede. A luta é mediada por uma ética que condena ambivalentemente a vaidade e a gula. Se esta última é um pecado capital, aquela primeira é condenada pelo Eclesiastes: vaidade, vaidade, afinal o homem é só vaidade…

Esta entrada foi publicada em Filmes. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.