O filho da noiva

Diretor: Juan José Campanella

Título original: El Hijo de la Novia

Elenco: Ricardo Darin, Hector Alterio, Norma Aleandro

Ano de produção: 2002

País de produção: Argentina

Gênero: Cinema latino-americano

Duração: 124 m

Rafael, aos 42 anos, reconhece que sua vida precisa de novos rumos. Dono de um restaurante, que herdou do pai e da mãe, fã de Don Diego de la Vega, o Zorro, também reconhece que na vida real há pouco espaço para as fantasias do justiceiro da alta Califórnia. A mãe vive num asilo, sofre de Alzheimer, e o apaixonado pai, que não se casara no religioso, pretende, após quase meio século de convívio, casar-se na Igreja. Há um problema de direito canônico, porquanto o casamento pressupõe acordo de vontades. A mãe, doente, não pode consentir… O que fazer? Este é mais um enigma, entre tantos outros, como a identidade de Dick Watson, que este sublime filme argentino nos propõe. Para os amantes da vida portenha a fotografia é um mimo. Para quem vive dilemas de escolhas o filme é um ponto de reflexão. E, principalmente, para quem acredita que o amor transcende ao tempo e aos azares da vida, o filme é uma comprovação de que nem tudo se pode, ainda quando realmente se quer, embora o pouco que temos pode ser o tudo que conseguimos. A cena do casamento é prova da assertiva.

Esta entrada foi publicada em Filmes. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.